Poker e rodeio garantiram surpresas positivas para MS neste ano

Primeiro, em novembro, o rio-pardense José Vitor Leme, o Vitinho, de 21 anos, saiu consagrado de Las Vegas, nos Estados Unidos, como a mais nova sensação dos rodeios ao vencer o Mundial


11/01/2018 11h59 - Por: Campo Grande News
 
O campo-grandense Saulo Sabioni, de 28 anos, ao levantar a taça de campeão do BSOP Milllions, o Brazilian Series Of Poker, maior competição de poker da América Latina e uma das principais do mundo (Foto: Divulgação) O campo-grandense Saulo Sabioni, de 28 anos, ao levantar a taça de campeão do BSOP Milllions, o Brazilian Series Of Poker, maior competição de poker da América Latina e uma das principais do mundo (Foto: Divulgação)

Mato Grosso do Sul é o estado do rodeio e do poker. Na verdade, o velho ditado historicamente identifica o Brasil em relação ao futebol, mas a considerar as grandes conquistas esportivas sul-mato-grossenses em 2017 com José Vítor Leme, de Ribas do Rio Pardo, e Saulo Sabioni, de Campo Grande, a definição para o quadro local não chega a ser um exagero, pelo menos nesta última temporada.

Primeiro, em novembro, o rio-pardense José Vitor Leme, o Vitinho, de 21 anos, saiu consagrado de Las Vegas, nos Estados Unidos, como a mais nova sensação dos rodeios ao vencer o Mundial com nota 94,50 na final, e arrematar um prêmio de 300 mil dólares (mais de 1 milhão).

No início de dezembro, foi a vez do campo-grandense Saulo Sabioni, de 28 anos, brilhar no BSOP Milllions, o Brazilian Series Of Poker, maior competição de poker da América Latina e uma das principais do mundo, disputada no WTC Sheraton, em São Paulo. Ele superou o field (quantidade de jogadores) de 2.807 entradas no chamado Main Event (evento principal) com os competidores mais relevantes, e embolsou R$ 1.067.150, o prêmio já pago em uma competição de poker no Brasil.

"Foi um ano de muita dedicação, muito esforço, mas também eu não imaginava que o ano terminaria tão maravilhoso assim, cravando o BSOP Millions, que é um sonho para todos os jogadores de poker. Esse é um momento que eu sempre sonhei", disse Saulo, emocionado.

Verdadeira maratona de cinco dias, muitas horas na mesa e muita concentração em cada lance, o BSOP Millions 2017 teve a mesa final definida com rapidez, levando em conta que os eliminados saíram em pouco mais de quatro horas de disputa, e Saulo foi para o confronto direto com o capixaba de Vila Velha, Francisco Neto, o Netinho.

Dono de um time de poker online, o Suits Team, Saulo Sabioni, revelou que fez uma preparação especial para a mesa final. "Eu e o meu sócio fizemos uma programação de estudo, adversário por adversário, traçamos uma meta, uma estratégia para o meu jogo e eu segui à risca essa estratégia", contou.

Ex-jogador de futebol, José Vitor Leme, de 21 anos, chega ao topo no mundo do rodeio (Foto: Revista Rodeio Magazine)
Ex-jogador de futebol, José Vitor Leme, de 21 anos, chega ao topo no mundo do rodeio (Foto: Revista Rodeio Magazine)

FEMÔNOMENO DAS ARENAS DE RODEIO

No rodeio, José Vitor Leme, fez uma temporada considerada perfeita. Antes de chegar ao topo em Las Vegas, Vitinho não deixou por menos na etapa brasileira do Mundial, disputada em Barretos, interior de São Paulo. Conquistou a Tríplice Coroa do Monster Energy PBR, principal campeonato da modalidade, e ficou com as fivelas de campeão nacional, campeão da etapa e revelação do ano, mais o direito de competir nos Estados Unidos.

Desembarcou em Las Vegas como campeão brasileiro e mais um nome entre os competidores. Sua meta era fazer bons resultados para tentar uma vaga para a elite do esporte em 2018, mas fez muito mais do que isso. Na Real Time Pain Relief Velocity Tour Finals, José Vitor Leme conseguiu três paradas com a maior nota. Logo na primeira, ou seja, na estreia, fez 85,50 pontos a bordo do touro Wileywood Blue.

José Vitor Leme vira o ano considerado um fenômeno do rodeio. Entrou para o seleto grupo de peões do PBR (Professional Bull Riders), entidade norte-americana com sede em Puebla, no Colorado, responsável pela promoção de competições internacionais de montaria em touro, e passou a viver nos Estados Unidos para disputar as grandes competições internacionais americanas e canadenses.

"Um sonho realizado. Só de competir em Las Vegas ao lado de grandes ídolos em uma final do Mundial já foi uma realização, um passo importante em minha carreira", declarou o peão sul-mato-grossense, que nos últimos dois anos tem vivido de rodeios. "Sempre busquei aprender bastante, melhorar minha técnica e fazer o melhor possível para compreender os touros que vou montar e como vencê-los", disse ele.

O rio-pardense José Vitor Leme, na difícil batalha para superar Mudshark, seu terceiro touro na grande final (Foto: Andy Watson) O rio-pardense José Vitor Leme, na difícil batalha para superar Mudshark, seu terceiro touro na grande final (Foto: Andy Watson)
 

Envie seu Comentário