Com "sangue nos olhos" Prefeito do PMDB de Temer nega denúncias de salário ilegal e compra de votos

O prefeito peemedebista reconheceu que Idêmio foi parceiro na campanha e teve a sua oportunidade no serviço público


11/01/2018 22h41 - Por: Kleber Souza
 
O prefeito peemedebista reconheceu que Idêmio foi parceiro na campanha e teve a sua oportunidade no serviço público. (Foto: reprodução Facebook) O prefeito peemedebista reconheceu que Idêmio foi parceiro na campanha e teve a sua oportunidade no serviço público. (Foto: reprodução Facebook)

Visivelmente raivoso e revoltado com os comentários da população no Facebook, o prefeito de Ribas do Rio Pardo, Paulo César, que é do PMDB do presidente Michel Temer e do Ministro Marun, reuniu a imprensa do município na tarde desta quinta-feira, dia 11, para esbravejar nervosamente contra as denúncias de um ex-servidor público contratado por ele como comissionado, chamado Idêmio Taveira.

As denúncias são de pagamento ilegal dos salários através de notas frias e também de corrupção eleitoral, ou seja, compra de votos durante a campanha política na qual saiu vitorioso em 2016, juntamente com o ex-prefeito condenado e inelegível, Roberson Moureira.

Falando alto e demonstrando destemor, ele, repetiu várias vezes: "ele vai ter que provar, ele vai ter que provar". Quando perguntado diretamente se pagou salários com notas frias, não explicou ao contrário, mas disse: "ele vai ter que provar". Da mesma forma, respondeu sobre a compra de votos denunciada por Idêmio, através de áudio enviado diretamente ao prefeito, que circula através do whatsapp em todo município de Ribas do Rio Pardo.

A informação chegou rápido até pessoas da cidade e da zona rural, nas fazendas onde o prefeito do mesmo partido de Michel Temer e do Ministro Carlos Marun, é conhecido por ser criador de cavalos e já ter sido fazendeiro.O denunciante fala que esteve com advogado e que representará no Ministério Público contra o prefeito.

Sobre isso, o prefeito peemedebista reconheceu que Idêmio foi parceiro na campanha e teve a sua oportunidade no serviço público. "Mas, não atendeu as expectativas da administração, assim como outros".

Embora ele não tenha citado nomes, entre os já exonerados está o vice-prefeito, Luiz Dutra, que foi demitido do cargo de Secretário de Obras; a ex-vereadora Roseli Codognato, demitida do cargo de Secretária de Administração; o advogado Pedro Garcia, da Assessoria Jurídica; e, esta semana, a ex-vereadora Célia Pinto, do cargo de Secretária de Assistência Social.

Sem contar os exonerados do segundo escalão e os próximos servidores, já que há comentário geral na cidade de que novas demissões serão feitas. Quanto ao fato de contratar "pessoas de fora" (do município), o peemedebista disse que profissionais de Ribas não aceitaram convites feitos por ele.

Ouça o que diz o ex-servidor no aúdio que gerou a polêmica:

CLIQUE NO LINK ABAIXO E ASSISTA NA ÍNTEGRA O VÍDEO DA ENTREVISTA TRANSMITIDA AO VIVO PELA 98FM:

https://www.facebook.com/claudinha.pimenta.77/videos/1323160817829520/

 

Envie seu Comentário